Campinas prevê retomada do Cartão Nutrir em abril.
Reprodução
Campinas prevê retomada do Cartão Nutrir em abril.



A Prefeitura de Campinas publicou nesta sexta-feira (18) no Diário Oficial do Município, a rescisão do contrato com a Lecard, empresa que fornecia o Cartão Nutrir Emergencial . A suspensão do contrato tinha sido anunciada no final de fevereiro pela Administração. 

Com a publicação, a Prefeitura pode, a partir de agora, fazer a contratação emergencial de nova empresa para regularizar a entrega dos cartões. Ao todo, o serviço do Cartão Nutrir Emergencial atende 16.280 famílias carentes.

"Se os prazos legais forem cumpridos pela empresa que assumirá o serviço, os novos cartões começam a ser entregues no início de abril, inclusive com o crédito referente ao mês de março . Ou seja, os beneficiários vão receber dois créditos (um de março e outro de abril)", informou em nota a Prefeitura.  

A previsão é que o contrato emergencial seja firmado na próxima semana. A licitação para a definição da nova empresa, de forma definitiva, foi aberta hoje. O recebimento de propostas acontece até o dia 31 de março.

NOVOS PASSOS

Leia Também

O contrato emergencial vai vigorar até o resultado da nova licitação que será feita pela Prefeitura. 

A entrega dos novos cartões, segundo a Administração, será organizada por ordem alfabética em local a ser divulgado futuramente.

COMO FUNCIONA

Leia Também

O Cartão Nutrir é destinado a famílias que tenham renda per capita de até R$ 231,46 por mês. Precisa também ter, no grupo familiar crianças ou adolescentes ou pessoas com deficiência ou idosos. 


O valor do Cartão Nutrir corresponde a 26 UFICs (Unidade Fiscal de Campinas), sendo de R$ 109,42.

Em Campinas, há duas categorias de cartão nutrir: o Emergencial e o Temporário. O Cartão Nutrir Temporário atende 6,5 mil famílias em Campinas e não foi afetado pela situação. 

A SUSPENSÃO

Segundo a Prefeitura, a empresa Le Card não atendeu a exigência de oferecer 800 estabelecimentos distribuídos em todas as regiões do município, o que dificultava a aquisição de alimentos pelos usuários. A empresa era responsável pelo pagamento desde agosto do ano passado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários