Mandados foram cumpridos por policiais federais, com apoio da PM.
Divulgação/PF
Mandados foram cumpridos por policiais federais, com apoio da PM.


A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (22) uma nova fase da operação que investiga os responsáveis pelo mega-assalto a bancos que levou terror a cidade de Araçatuba em agosto do ano passado. Alvos são investigados na região de Campinas. 

Desde o início da manhã de hoje, policiais federais, apoiados pela Polícia Militar, cumprem quatro mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária em Hortolândia, Sumaré e na capital. 

Segundo a PF, um dos indivíduos presos hoje integrava o núcleo central da organização criminosa e atuou diretamente no roubo , "sendo o responsável por operar o maçarico utilizado não só para romper os obstáculos até a sala cofre, mas também os próprios cofres". 

Um dos mandados de prisão não foi cumprido, e o investigado está sendo procurado, sendo considerado foragido da Justiça a partir de hoje. 

O MEGA-ASSALTO

Leia Também

O mega-assalto a agências bancárias deixou três mortos e cinco feridos no dia 30 de agosto de 2021. A ação criminosa em Araçatuba, cidade na região noroeste de São Paulo, durou cerca de duas horas, entre ataque às agências, tiroteio e fuga. A quadrilha rendeu moradores e os usou como escudo humano. 

Segundo a PF, o grupo criminoso utilizou armas de uso restrito (fuzil calibre .50, fuzil calibre 5,56, fuzil calibre 7.62, espingardas, pistolas e revólveres), além de drones e sofisticado material bélico. Os bandidos arrombaram os cofres das agências bancárias da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. 

A INVESTIGAÇÃO

Leia Também

A última operação tinha acontecido em 16 de dezembro do ano passado, também com alvos na região, e um homem preso em Campinas. 

Além dele, foi preso em Campinas um homem em novembro . Na cidade um suspeito também foi preso no dia seguinte ao ataque , confessando participação no crime. 


Outro suspeito foi encontrado morto em Sumaré. Em setembro outubro, e novembro, Campinas também foi alvo de operações da PF, com buscas sobre suspeitos do crime. 

"A Polícia Federal continua trabalhando de forma incessante para a responsabilização de todos os autores dos violentos atos e já identificou e prendeu a maior parte dos integrantes da organização criminosa", disse a Polícia Federal em nota. 

Com o desencadeamento da ação de hoje, a PF chega ao número de 37 investigados presos e 84 mandados de busca e apreensão cumpridos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários