ACidade ON

Quadrilha de mulheres de Campinas roubava vinhos caros em supermercado
Reprodução: ACidade ON
Quadrilha de mulheres de Campinas roubava vinhos caros em supermercado

Uma integrante de uma  quadrilha formada por mulheres de Campinas foi presa em Jundiaí nesta quinta-feira (3) durante uma operação da Polícia Civil . Segundo a polícia, elas furtavam vinhos de valores elevados em supermercados. O crime ocorria em várias cidades do Estado.

A polícia começou a investigar a quadrilha no mês passado, mas o grupo agia há mais de cinco anos. Elas agiram em pelo menos 10 cidades da região de Campinas, Jundiaí, Bauru e também no Vale do Paraíba.


O grupo é formado por três mulheres, mas a polícia conseguiu prender apenas uma delas, as outras seguem foragidas. Com ela os policiais encontraram roupas, produtos de beleza e também R$ 4 mil em dinheiro. Apesar de todos os produtos  apreendidos com a detida o foco do trio, segundo a polícia, eram vinhos importados e caros.

Você viu?

De acordo com levantamento da polícia, elas furtaram ao menos 12 supermercados. Em apenas uma rede o prejuízo foi de R$ 70 mil.

Imagens gravadas pelo circuito de segurança de um dos estabelecimentos furtados mostram a ação do trio. "Elas agiam com extrema destreza e não se preocupavam com a possibilidade de serem descobertas. Em todos os mercados elas agiam do mesmo jeito. Sempre o furto de vinhos caros e agiam em todo o Estado, afirmou o delegado da Polícia Civil", José Mário de Lara.

Crime encomendado

A mulher que foi presa confessou o crime e disse ainda que não entendia de vinho. "Por isso acreditamos que furtaram para atender encomendas. O receptador encomendava determinado vinho e elas iam até os locais, nas adegas dos supermercados para tentar subtrair esses vinhos", disse.

O delegado ainda informou que o trio sabia onde estavam localizadas as câmeras de segurança e agiam de maneira a disfarçar o crime.

A mulher que foi presa tem 16 passagens pela polícia e as outras duas que estão foragidas têm 13 passagens pela polícia. A investigação continua para chegar até os receptadores da mercadoria levada.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários