ACidade ON

Farmácias não podem fazer testes que envolvam secreção nasal. (Foto Ilustrativa
Divulgação
Farmácias não podem fazer testes que envolvam secreção nasal. (Foto Ilustrativa


A Vigilância Sanitária começou a fiscalizar e autuar farmácias de Campinas que estavam fazendo Testes de covid-19 que envolviam secreção nasal, o que é proibido segundo a Administração. De acordo com a Saúde, testes como "Antígeno" e "PCR são" não podem ser feitos por drogarias, que só tem a autorização para fazer o teste rápido, chamado de sorológico (quando é colhido uma gota de sangue do paciente).  

A fiscalização, que começou a ser feita ontem (19) já proibiu redes que antes disponibilizavam o teste para a população. Segundo a Prefeitura, quatro farmácias foram autuadas por disponibilizar e aplicar os testes.  

Segundo a Administração, o único teste autorizado para ser feito em farmácias é o de sorologia (IgG e IgM) que detecta o vírus e anticorpos a partir do 10º dia de sintoma e é feito por meio da coleta de uma gota de sangue. 

Segundo a Vigilância, a proibição ocorre porque os locais não são autorizados a funcionar como pontos de coleta e fazer procedimentos que envolvem pacientes sem máscara e com coleta se secreção, que causa um risco maior de contaminação no local. 

"A atividade de coleta é exclusiva de postos de coletas de laboratórios clínicos e não pode ser feita em farmácias" explicou a Prefeitura por meio de nota, citando que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Epidemiológica) deu autorização emergencial comente para testes imunocromatográficos, por conta da excepcionalidade da pandemia.  

TESTE EM FARMÁCIAS TINHA ESPERA LONGA

Apesar da proibição, os testes eram feitos normalmente nas farmácias, até mesmo com disponibilização de agendamento on-line. Com a alta crescente dos casos de covid-19 em Campinas, que hoje registrou mais 13 vítimas fatais, a busca pelo diagnóstico também cresceu muito e o agendamento desses testes em farmácias na cidade tinha a espera de no mínimo três dias.  

Você viu?

A grande procura também estava relacionada ao valor. Enquanto nas drogarias os testes de PCR e Antígeno variavam entre R$ 109 e R$ 150, em laboratórios o preço gira em torno de R$ 200 e R$ 300.

A aposentada Maria de Lourdes Pereira conta que chegou a agendar os testes nesta semana, mas ontem foi informada do cancelamento. 

"Ontem, marquei dois testes de Antígeno para a quinta-feira depois de muita busca. Mas a noite recebi uma ligação da farmácia dizendo que a Vigilância os proibiu de fazer esses procedimentos e que eles têm que pedir solicitação das autoridades. O único que podem fazer é de sorologia que acabei optando por ser o único", contou a aposentada, que não sabia da proibição. 

Além dela, a comerciante Mariana Gomes também não conseguiu marcar o exame que queria para saber se tem o vírus.  

"Meu namorado fez o exame na farmácia e testou positivo. Quando fui marcar o meu, disseram que não podia mais. Agora vou ter que fazer em laboratório particular porque como não tenho sintomas a sorologia não funciona no meu caso", contou.  


Em nota, a Vigilância Sanitária afirmou que os locais onde são feitos os testes nas farmácias não possuem sistema de ventilação para evitar uma contaminação do local e de trabalhadores. A Prefeitura não informou as drogarias autuadas e nem o valor da multa. 

A reportagem entrou em contato com algumas farmácias da cidade onde havia a aplicação do teste proibido, mas nenhuma quis comentar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários