Dário Saadi disse que Campinas pode ter auxílio emergencial municipal.
Fernanda Sunega/Prefeitura de Campinas
Dário Saadi disse que Campinas pode ter auxílio emergencial municipal.


O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos) afirmou na manhã de hoje (22) que tem estudado a implantação de um auxilio emergencial municipal para ajudar famílias atingidas pelo aumento da vulnerabilidade social causada pela pandemia de coronavírus. 

A declaração foi feita durante o lançamento da campanha "Campinas Sem Fome", que vai distribuir alimentos e produtos de higiene para famílias em situação de vulnerabilidade. 

"Estamos estudando e se tiver a mínima oportunidade de remanejamento orçamentário nós faremos", disse ele, citando que a princípio a priorização é na distribuição de alimentos, sendo que o orçamento atual é um empecilho. 

"Temos estudado muito essa questão. Temos um problema orçamentário e financeiro. No ano passado, o governo federal encaminhou para Campinas em torno de R$ 300 milhões, R$ 130 milhões [de] ajuda ao próprio tesouro do município e R$ 170 milhões de financiamento para o SUS (Sistema Único de Saúde). Esse ano não há previsão de aporte do governo federal para o caixa da Prefeitura e nossos gastos com a pandemia, com leitos, têm sido muitos altos", explicou. 

No ano passado, o auxilio emergencial federal foi pago a mais de 300 mil pessoas em Campinas. No fim do ano, famílias que dependiam da ajuda disseram sentir os impactos da suspensão. 

O benefício federal foi suspenso em dezembro, e desde então ainda não houve renovação para esse ano. Um novo modelo, com parcelas com valores menores tramita no Congresso, prevendo a retomada do benefício para o mês que vem. 

"Ano passado tivemos a ajuda emergencial que foi muito importante. Esse ano ainda não esta definido, e parece que será menor. Então, da mesma forma que enfrentamos a pandemia, também vamos ampliar a distribuição de alimentos para aquelas famílias que estão passando por uma situação extremamente complicada, com aumento da vulnerabilidade", disse o prefeito de Campinas sobre o benefício. 

AUMENTO NA VUNERABILIDADE

Durante a apresentação da campanha, a Prefeitura informou que vê um aumento no número de famílias em vulnerabilidade neste ano. Segundo a secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Vandecleya Moro, nos primeiros três meses deste ano, 80 mil famílias já pediram o Cartão Nutrir, número que já é metade do total de todas as famílias atendidas no ano passado. 

Você viu?

Sobre o CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) a secretária citou que só na última semana 2,8 mil famílias procuraram a Prefeitura para ter informações sobre o acesso. 

A CAMPANHA

A ação visa arrecadar e distribuir alimentos e produtos de higiene doados para famílias em situação de vulnerabilidade. Segundo a prefeitura, 18 pontos de doação foram instalados e a distribuição aos moradores será feita pelas 145 entidades assistenciais que atuam nos bairros. 


A primeira etapa da campanha será a mobilização de doadores. Moradores ou empresas que queiram fazer doações de cestas básicas podem ligar nos números (19) 3746-1063 (Banco de Alimentos); (19) 3735-5400 e (19) 98455-0377 (Sanasa). Quando os doadores não puderem ir a algum posto de doação, a prefeitura fará a retirada na casa ou empresa. Nos postos de doação, a entrega será feita por drive-thru. 

Em 10 e 11 de abril ocorrerão os "Dias D" da campanha, com doações drive-thru na prefeitura das 9h às 17h. 

LOCAIS DE DOAÇÃO

As arrecadações de alimentos pelo sistema drive-thru vão ser feitas nos seguintes postos: 

Administrações regionais
Banco de alimentos do Ceasa
Bosque dos Jequitibás
Lagoa do Taquaral
Mercado de Flores
Postos descentralizados da Sanasa (Barão Geraldo, Sousas, Jardim Londres, Aparecidinha e Cambuí)
Sede da Sanasa
Subprefeituras
Paço Municipal
Câmara Municipal

"

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários