Foram elaboradas medidas para que a comunidade acadêmica retorne aos campi com a máxima segurança.
Divulgação/Unicamp
Foram elaboradas medidas para que a comunidade acadêmica retorne aos campi com a máxima segurança.


A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) confirmou nesta quinta-feira (13) o retorno das aulas presenciais em todas as modalidades de ensino oferecidas na universidade para o dia 3 de março.

O retorno presencial já era previsto para acontecer no primeiro semestre, mas ainda não tinha uma data oficializada. A data consta no calendário da diretoria acadêmica

Em outubro, as atividades práticas presenciais foram autorizadas presencialmente , mas as disciplinas ainda continuavam em formato remoto. 

VACINAÇÃO OBRIGATÓRIA

Para frequentar as aulas, os alunos deverão comprovar a finalização do ciclo vacinal, com duas doses ou uma em acordo com a vacina disponível.

Segundo a universidade, a medida foi aprovada pela Câmara de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) do Conselho Universitário (Consu) da Universidade. De acordo com vice-reitora, a medida "tem apresentado boa aceitação e os casos pontuais de não vacinados têm sido resolvidos".

O RETORNO

O retorno das atividades no campus aconteceu no dia 13 de setembro de 2021, um ano e meio após as suspensões por conta da pandemia. A volta, no entanto, aconteceu somente para docentes e funcionários.

Leia Também

Para o retorno dos estudantes, a universidade pede o respeito às regras sanitárias. 

"Estamos trabalhando para que no dia 3 de março nossa universidade volte plenamente e com segurança. Pedimos a todos que respeitem as regras de segurança sanitária. Será um momento de grande emoção ver a Unicamp voltar à sua normalidade", frisou a coordenadora geral da Unicamp e reitora em exercício, professora Maria Luiza Moretti. 

Leia Também

Sobre o aumento de casos de contaminação desde o início do ano, a reitora informou que monitora a maior ocorrência entre os infectados e que os alunos devem ficar atentos às informações do Portal da Unicamp para eventuais alterações nas orientações. 

A coordenadora ainda salientou três regras para o bom andamento das atividades nos campi: distanciamento social, uso obrigatório de máscara e higienização das mãos. 

FORÇA- TAREFA E LIMITE DE ALUNOS

Para intensificar as ações e definir as obras e investimentos necessários para a retomada, o reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, constituiu o Grupo Força-Tarefa, internamente conhecido como Programa Mão na Massa. 

Os integrantes do Mão na Massa têm visitado todas as unidades para avaliar as salas de aula, indicar as melhorias necessárias e orientar os servidores. 

Até o momento, segundo a Unicamp, 50% delas já foram vistoriadas . Essa etapa deverá se encerrar na última semana de janeiro. 


O Escritório de Dados da Unicamp desenvolveu uma ferramenta digital que, com base no cálculo dos alunos matriculados em 2019, avalia as condições de cada sala e estabelece a quantidade de pessoas que poderão ocupar o espaço. 

"Caso o número de alunos exceda a capacidade do ambiente, parte dos alunos assistirá a aula em "salas compartilhas", ou "gêmeas", por meio de um equipamento específico que está sendo adquirido", explicou a universidade.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários